Histórico

A Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN) foi fundada em 14 de setembro de 1961, no Centro de Medicina Nuclear anexo à Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Na Assembleia estavam reunidos médicos e cientistas dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, sendo o Dr. Ted Eston de Eston seu primeiro presidente.

 

A SBMN é constituída por médicos especialistas em medicina nuclear e outros profissionais de áreas correlatas, como tecnólogos, biólogos, físicos e químicos, contando com cerca de 500 sócios. Tem por objetivo integrar e favorecer o desenvolvimento da comunidade médica nuclear e demais profissionais envolvidos no emprego de fontes abertas de radionuclídeos com finalidades diagnósticas ou terapêuticas, promovendo atividades científicas e de intercâmbio entre profissionais de todo o país.

Linha do Tempo

Entre as atribuições históricas da SBMN, incluem-se:
SBMN

Os doutores Ted e Verônica Eston conhecem as primeiras pesquisas com isótopos radioativos nos Estados Unidos.

Começo da MN no Brasil | 1946

Criação do projeto para instalação da primeira unidade de radioisótopos na América Latina, designada como Laboratório de Isótopos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

1949 | Criação do Laboratório em SP

Dr. José Augusto Villela Pedras funda o primeiro serviço particular de Medicina Nuclear do Brasil.

Início do serviço privado | 1954

Inauguração do edifício Centro de Medicina Nuclear na Universidade de São Paulo.

1959 | Lançamento do CMN na USP

Fundação da Sociedade Brasileira de Biologia e Medicina Nuclear, no Centro de Medicina Nuclear, anexo à Faculdade de Medicina.

Fundação da SBBMN | 1961

Inclusão da Radiofarmácia no Hospital das Clínicas. Produção de insumos ampliada para atender interessados de São Paulo e de outros estados.

1963 | Início de produção de insumos

Primeira Assembleia Geral.

Primeiro evento | 1964

Proposta para fundação de uma associação que seria constituída pelas Sociedades de Biologia e Medicina Nuclear dos diversos países latino-americanos. Assim, criou-se a Associação Latino-Americana de Sociedades de Biologia e Medicina Nuclear (ALASBIMN).

1964 | Criação da ALASBIMN

Primeiro Congresso da ALASBIMN em Lima, no Peru.

Primeiro Congresso Internacional | 1966

Fundada a World Federation of Societies of Nuclear and Biology.

Criação do WFSNB | 1970

Medicina Nuclear entra em recesso por conta da inflação de 40% ao mês.

MN e o recesso | 1980

No final da década, começa a distribuição de geradores com eluição automática conforme padrões internacionais.

1980 | Distribuição de geradores

Criação e revisão das tabelas de convênios, com ênfase para a rede pública de saúde do INAMPS.

Melhorias na saúde | 1984

Começa a fabricação dos insumos no Brasil, com grande investimento do IPEN, responsável pela produção.

1984 | Insumos brasileiros

Criação da sede da SBBMN e do Boletim Informativo.

SBBMN inaugura sede | 1992

Acordo entre a CNEN e o CBR para aplicação da prova de concessão de Título de Especialista em Medicina Nuclear.

1996 | Título de Especialista em MN

Estabelece como pré-requisito para a instalação de um serviço de Medicina Nuclear que esteja sob a chefia de um médico com título de especialista concedido na forma do acordo CNEN e CBR.

Norma CNEN-NE6.01 | 1996

Compra do primeiro SPECT com circuito de coincidência no Brasil.

1998 | Primeiro SPECT brasileiro

As atividades de produção e distribuição recebem a certificação ISO-9002.

Certificação ISO-9002 | 1999

A Medicina Nuclear se consolida como especialidade médica pela AMB.

2002 | AMB reconhece especialidade

O nome da SBBMN é alterado para Sociedade Brasileira de Biologia, Medicina Nuclear e Imagem Molecular.

Novo nome | 2002

Criação do site da SBBMN, substituindo o Boletim Informativo.

2002 | SBBMN ganha site

INCOR monta o primeiro PET dedicado do país.

PET brasileiro | 2003

Investimento em nova tecnologia relacionado à oncologia no Brasil. Aprovação do projeto para reformulação da Radiofarmácia do IPEN e permissão da montagem de um cíclotron dedicado à produção de FDG.

2003 | Oncologia de qualidade

Permissão para entidades privadas de todo o país produzirem e comercializarem radioisótopos com meia-vida inferior a duas horas, sob regime de concessão e com a supervisão da CNEN.

Comercialização de insumos | 2006

Começam as discussões para que o Brasil importe geradores de tecnécio já prontos de outros países, além de novas possibilidades com relação à entrada de outros radiofármacos importados no país.

2009 | Importação de geradores

ANS publica a Resolução Normativa 211.

Resolução Normativa 211 | 2010

Alteração do nome para Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear.

2013 | Novo nome

Aprovação do registro de Emissor de Partículas Alfa.

Aprovação de registro | 2015

SBMN institui o dia 14 de setembro como Dia do Médico Nuclear.

2015 | Dia do Médico Nuclear

SBMN assina Termo de Cooperação com a IAEA, o primeiro da América Latina.

Termo de Cooperação | 2018

Compartilhe isto:

QUEM SOMOS

A SBMN é constituída por médicos especialistas em Medicina Nuclear e outros profissionais de áreas correlatas, como tecnólogos, biólogos, físicos e químicos, contando com cerca de 500 sócios.

INFORMAÇÕES E CONTATOS

  • Av. Paulista, 491 - Cj. 53 Bela Vista - CEP: 01311-909
  • (11) 3262-5438
  • sbmn@sbmn.org.br

NOSSAS REDES

Filiada a:
SBMN © Copyright 2019. Todos os Direitos Reservados.