A Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear recebeu com muita alegria a notícia que uma empresa privada conseguiu o registro na ANVISA para importar e comercializar geradores de molibdênio-tecnécio no Brasil. Em um momento em que a falta de insumos é constante e recorrente, esta notícia sinaliza que há esperança de novas alternativas para a cadeia de fornecimento de insumos de medicina nuclear.

A SBMN entende que é um passo importante e inédito para o aumento da oferta de radiofármacos em todo território nacional, trazendo mais segurança à operação dos serviços de Medicina Nuclear brasileiros.

A SBMN parabeniza a empresa Eckert & Ziegler pela iniciativa e espera que o custo final deste gerador de molibdênio-tecnécio importado seja compatível com os já praticados no mercado.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin