História

A Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN) foi fundada em 14 de setembro de 1961, no Centro de Medicina Nuclear anexo à Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Na Assembleia estavam reunidos médicos e cientistas dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, sendo o Dr. Ted Eston de Eston seu primeiro presidente.

A SBMN é constituída por médicos especialistas em medicina nuclear e outros profissionais de áreas correlatas, como tecnólogos, biólogos, físicos e químicos, contando com cerca de 500 sócios. Tem por objetivo integrar e favorecer o desenvolvimento da comunidade médica nuclear e demais profissionais envolvidos no emprego de fontes abertas de radionuclídeos com finalidades diagnósticas ou terapêuticas, promovendo atividades científicas e de intercâmbio entre profissionais de todo o país.

Linha do Tempo

Entre as atribuições históricas da SBMN, incluem-se:

  • Começo da MN no Brasil 1946
    Os doutores Ted e Verônica Eston conhecem as primeiras pesquisas com isótopos radioativos nos Estados Unidos.
  • Criação do Laboratório em SP 1949
    Criação do projeto para instalação da primeira unidade de radioisótopos na América Latina, designada como Laboratório de Isótopos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
  • Início do serviço privado 1954
    Dr. José Augusto Villela Pedras funda o primeiro serviço particular de Medicina Nuclear do Brasil.
  • Lançamento do CMN na USP 1959
    Inauguração do edifício Centro de Medicina Nuclear na Universidade de São Paulo.
  • Fundação da SBBMN 1961
    Fundação da Sociedade Brasileira de Biologia e Medicina Nuclear, no Centro de Medicina Nuclear, anexo à Faculdade de Medicina.
  • Início de produção de insumos 1963
    Inclusão da Radiofarmácia no Hospital das Clínicas. Produção de insumos ampliada para atender interessados de São Paulo e de outros estados.
  • Primeiro evento 1964
    Primeira Assembleia Geral.
  • Criação da ALASBIMN 1964
    Proposta para fundação de uma associação que seria constituída pelas Sociedades de Biologia e Medicina Nuclear dos diversos países latino-americanos. Assim, criou-se a Associação Latino-Americana de Sociedades de Biologia e Medicina Nuclear (ALASBIMN).
  • Primeiro Congresso Internacional 1966
    Primeiro Congresso da ALASBIMN em Lima, no Peru.
  • CBR concede emissão de títulos 1968
    Emissão de títulos oficiais concedidos pelo Colégio Brasileiro de Radiologia.
  • Criação do WFSNB 1970
    Fundada a World Federation of Societies of Nuclear and Biology.
  • Espaço reconhecido 1975
    Conquista de locais exclusivos para a produção e controle de qualidade de radioisótopos e moléculas marcadas.
  • MN e o recesso 1980
    Medicina Nuclear entra em recesso por conta da inflação de 40% ao mês.
  • Distribuição de geradores 1980
    No final da década, começa a distribuição de geradores com eluição automática conforme padrões internacionais.
  • Melhorias na saúde 1984
    Criação e revisão das tabelas de convênios, com ênfase para a rede pública de saúde do INAMPS.
  • Insumos brasileiros 1984
    Começa a fabricação dos insumos no Brasil, com grande investimento do IPEN, responsável pela produção.
  • SBBMN inaugura sede 1992
    Criação da sede da SBBMN e do Boletim Informativo.
  • Título de Especialista em MN 1996
    Acordo entre a CNEN e o CBR para aplicação da prova de concessão de Título de Especialista em Medicina Nuclear.
  • Norma CNEN-NE6.01 1996
    Estabelece como pré-requisito para a instalação de um serviço de Medicina Nuclear que esteja sob a chefia de um médico com título de especialista concedido na forma do acordo CNEN e CBR.
  • Primeiro SPECT brasileiro 1998
    Compra do primeiro SPECT com circuito de coincidência no Brasil.
  • Certificação ISO-9002 1999
    As atividades de produção e distribuição recebem a certificação ISO-9002.
  • AMB reconhece especialidade 2002
    A Medicina Nuclear se consolida como especialidade médica pela AMB.
  • Novo nome 2002
    O nome da SBBMN é alterado para Sociedade Brasileira de Biologia, Medicina Nuclear e Imagem Molecular.
  • SBBMN ganha site 2002
    Criação do site da SBBMN, substituindo o Boletim Informativo.
  • PET brasileiro 2003
    INCOR monta o primeiro PET dedicado do país.
  • Oncologia de qualidade 2003
    Investimento em nova tecnologia relacionado à oncologia no Brasil. Aprovação do projeto para reformulação da Radiofarmácia do IPEN e permissão da montagem de um cíclotron dedicado à produção de FDG.
  • Comercialização de insumos 2006
    Permissão para entidades privadas de todo o país produzirem e comercializarem radioisótopos com meia-vida inferior a duas horas, sob regime de concessão e com a supervisão da CNEN.
  • Importação de geradores 2009
    Começam as discussões para que o Brasil importe geradores de tecnécio já prontos de outros países, além de novas possibilidades com relação à entrada de outros radiofármacos importados no país.
  • Resolução Normativa 211 2010
    ANS publica a Resolução Normativa 211.
  • Novo nome 2013
    Alteração do nome para Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear.
  • Aprovação de registro 2015
    Aprovação do registro de Emissor de Partículas Alfa.
  • Dia do Médico Nuclear 2015
    SBMN institui o dia 14 de setembro como Dia do Médico Nuclear.
  • Termo de Cooperação 2018
    SBMN assina Termo de Cooperação com a IAEA, o primeiro da América Latina.

Agenda

Conheça nossa programação de cursos e eventos

Calculadora

Gerador de 99Mo / 99mTc: confira o rendimento

Associe-se

Faça você também parte deste grupo que só faz crescer e que tem orgulho de ser médico nuclear

Newsletters

Veja as últimas informações sobre a SBMN

NEWS 231 – NOVEMBRO 2018

NEWS 231 – NOVEMBRO 2018

NEWS 230 – NOVEMBRO 2018

NEWS 230 – NOVEMBRO 2018

NEWS 229 – NOVEMBRO 2018

NEWS 229 – NOVEMBRO 2018

Dúvidas, críticas ou sugestões entre em contato



SBMN © Todos direitos reservados. Rs Press